Buscar
  • VINICIUS VITAL

Trens do ramal de Saracuruna operam com intervalos irregulares por causa do furto de cabos

Os clientes estão sendo informados sobre a normalização pelos canais de comunicação da SuperVia

Trem da SuperVia Henrique Freire/SuperVia

O DIA


Rio - Passageiros enfrentam intervalos irregulares dos trens, na manhã desta segunda-feira, por causa do furto de cabos de sinalização. De acordo com a SuperVia, as composições operam com intervalos ampliados no trecho Central-Gramacho, do ramal Saracuruna, devido à necessidade de aumento da distância entre os trens por medida de segurança.

Segundo a concessionária, alguns maquinistas precisavam aguardar ordem de circulação. Os clientes estão sendo informados sobre a normalização pelos canais de comunicação da SuperVia.

Continua após a publicidade


Técnicos da SuperVia trabalham para restabelecer o sistema e normalizar a circulação no menor tempo possível", informou a concessionária.

CPI dos Trens

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Trens da Alerj, que tem como objetivo destrinchar os problemas cotidianos deste modal de transporte no Estado do Rio de Janeiro, terá as primeiras oitivas nesta segunda-feira, a partir das 10h, na Alerj.


Os secretários estaduais de Transportes, André Luiz Nahass; de Fazenda, Nelson Rocha; e de Planejamento, José Luís Zamith, além do presidente da Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários, Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro (Agetransp), Murilo Leal, foram convocados para explicar o aumento previsto pela SuperVia da tarifa ferroviária de R$ 5 para R$ 7 no dia 21 de março.

A CPI dos Trens/SuperVia tem como o deputado-relator Waldeck Carneiro (PT), com presidência da deputada Lucinha (PSDB). O objetivo da CPI é investigar denúncias; apurar Interrupções nos serviços dos trens suburbanos, os atrasos entre os horários de chegadas e partidas, a superlotação das composições, a duração das viagens, a acessibilidade das estações, a construção de banheiros; analisar as condições de trabalho dos funcionários, dos trens e das estações; cobrar o retorno do ramal Santa Cruz–Central do Brasil; e trazer à tona os danos sofridos pelos usuários relacionados a má prestação do serviço da concessionária de transporte ferroviário no Estado do Rio de Janeiro (Supervia). Segundo Waldeck, a tarifa é uma questão central do modal. "O indexador sobre as passagens é atrelado ao dólar. Não se pode sustentar os trens apenas com receitas tarifárias. É preciso encontrar outras alternativas, pois senão será sempre o usuário a responder pela necessidade de aumento dos valores", afirmou o deputado.

5 visualizações0 comentário