Buscar
  • VINICIUS VITAL

Quatro ramais da SuperVia circulam com intervalos irregulares nesta quarta-feira - SUPER TOP 89.3

Segundo a concessionária, os clientes estão sendo informados do problema através do sistema de áudio das estações

Na sexta-feira, a SuperVia foi multada em mais de R$ 6 milhões por falha na prestação de serviço Marcos Porto / Agência O Dia

Rio - Pelo terceiro dia consecutivo, os passageiros enfrentam problemas nos trens. De acordo com a SuperVia, os ramais de Japeri, Saracuruna, Santa Cruz e Deodoro circulam com atrasos nesta quarta-feira. No entanto, a concessionária não informou o motivo dos intervalos irregulares.

O ramal Japeri opera com intervalos médios de 20 minutos no trecho entre Japeri e Comendador Soares e com intervalos médios de 10 minutos no trecho entre Nova Iguaçu e Central do Brasil. Não haverá partidas da Central do Brasil para Nova Iguaçu.

Continua após a publicidade



O ramal Santa Cruz, interligado com o Deodoro, circula com intervalos médios de 20 minutos no trecho entre Santa Cruz e Benjamim do Monte e com intervalos médios de 10 minutos no trecho entre Campo Grande e Central do Brasil.

Já o ramal Saracuruna opera com intervalos médios de 20 minutos no trecho entre Gramacho e Central do Brasil e com intervalos médios de 40 minutos no trecho entre Gramacho e Saracuruna.

Segundo a concessionária, os clientes estão sendo informados do problema através do sistema de áudio das estações. "Nossas equipes trabalham para restabelecer a operação o mais breve possível".

Multa

O Procon-RJ aplicou mais sete multas à concessionária SuperVia por falha na prestação de serviço. As sanções, aplicadas na última sexta-feira, somam R$ 6.283.760,00. A concessionária está sendo multada por irregularidades encontradas nas estações Central do Brasil, São Cristóvão, Pavuna, Honório Gurgel, Rocha Miranda, Ricardo de Albuquerque, Anchieta, Olinda, Praça da Bandeira, Mangueira, Riachuelo e Engenho de Dentro. Superlotação e atrasos foram alguns dos problemas constatados que geraram as multas.

Continua após a publicidade



"Passamos da fase do diálogo e estamos exigindo que a empresa ofereça o serviço que o cidadão merece e precisa receber. A fiscalização é um dever do Estado, assim como é uma obrigação da SuperVia respeitar o usuário e garantir que ele tenha um sistema que funcione", avaliou o governador Cláudio Castro.

Na primeira quinzena de maio, duas sanções, que totalizaram R$ 3 milhões, foram aplicadas à empresa. Desde abril, a autarquia realiza ações de fiscalização nas estações de trem para apurar como o serviço é prestado à população. Outros 10 autos de infração foram lavrados e seguem os trâmites legais, que poderão resultar em novas multas.

CPI dos Trens

Continua após a publicidade



Deputados da CPI dos Trens, da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de janeiro (Alerj), que investigam os serviços de trens da SuperVia, inspecionaram na manhã desta segunda-feira o ramal Belford Roxo e concluíram que este é o pior ramal de todo o sistema ferroviário operado pela empresa. Além dos problemas comuns aos outros ramais, como buracos nos muros das vias, muito lixo e presença do tráfico de drogas, a quantidade de pessoas morando às margens da linha férrea impressionou os políticos.

Para a presidente da comissão, deputada Lucinha (PSD), o serviço de trens é um sistema falido. "É assustadora a quantidade de lixo e de ocupações irregulares. É um sistema falido. A SuperVia tem que fazer investimentos, não dá mais para aceitar essa situação. É o pior ramal, muita sujeira e favelização".

Os deputados ainda vão completar as oitivas e devem fazer uma visita na central de comando da SuperVia. Após a prorrogação da CPI por mais 60 dias, o relatório final deverá ser entregue em até 70 dias.

Procurada, a SuperVia disse que não irá comentar sobre as observações feitas pela CPI dos Trens.

Força-tarefa

Em abril, o Governo do Estado anunciou uma força-tarefa que tinha como uma das principais ações o plano de retomada de 12 estações consideradas perdidas para o tráfico, por meio da Polícia Militar. A ação ocorreu após inúmeros episódios de paralisação nos ramais por conta de roubos de cabos, atrasos nas viagens, sucateamento e falta de trens em horários de pico. O objetivo é melhorar os serviços oferecidos pela SuperVia à população.

Castro já havia anunciado a suspensão das negociações com a SuperVia quanto ao reajuste das tarifas, até que a concessionária corrigisse todos os problemas no serviço. Segundo ele "enquanto a situação de crise continuar, não será repassado nenhum real".


fonte O DIA

17 visualizações0 comentário

CLIQUE E OUÇA AO VIVO

1f447-1f3fe.png