Buscar
  • VINICIUS VITAL

No Rio, 80% dos internados não completaram o esquema vacinal contra a covid-19 - SUPER TOP FM 89.3

A cidade iniciou, nesta terça-feira, a aplicação da segunda dose de reforço em pessoas de 40 anos ou mais, além dos trabalhadores da área da saúde com 18 anos ou mais

Pessoas de 40 anos ou mais já podem receber a segunda dose de reforço contra a covid-19 Reginaldo Pimenta / Agência O Dia

Rio - A cidade do Rio começou na manhã desta terça-feira (21) a vacinar a população de 40 anos ou mais, além dos trabalhadores da área da saúde com 18 anos ou mais com a segunda dose de reforço contra a covid-19. De acordo com o secretário municipal de Saúde, Rodrigo Prado, 80% dos internados não completaram o esquema vacinal contra o novo coronavírus.


Prado disse que a população precisa entender que as doses de reforço fazem parte do calendário vacinal. "Não é uma questão de opção. Elas precisam ser tomadas para garantir a imunização das pessoas. Hoje, na cidade, temos 1.885.500 milhão de pessoas que não tomaram nem a primeira dose de reforço da vacina. Dos internados no município, 80% têm atraso na primeira ou na segunda dose da vacina", afirmou o secretário, que esteve na clínica da família Estácio de Sá, no Rio Comprido, Zona Norte do Rio. Segundo Prado, o inverno é uma estação mais propícia ao aumento de casos. Por isso, é fundamental que as pessoas se vacinem. A Secretaria Municipal de Saúde orienta que é preciso um intervalo de pelo menos quatro meses após a aplicação da primeira dose de reforço da vacina.

Continua após a publicidade



O vigilante Rogério Ferreira da Silva, de 48 anos, disse que contraiu a doença e precisou ser internado. "Essa doença é horrível. Tive covid logo no início da pandemia e fiquei 22 dias internado no Hospital Quinta D'or. Foi terrível, mesmo. Se vacinar é proteção pra gente e pra todos ao nosso redor. Espero que as pessoas se conscientizem disso e venham se vacinar".

A técnica de enfermagem Roseclaide de Oliveira, de 43 anos, também contou que teve covid-19 duas vezes e por isso é uma grande defensora da imunização. "Na primeira, fiquei bem chumbada, mas graças a Deus não precisei internar. Foi logo no início da pandemia e não tinha vacina, ainda. A segunda vez foi agora em fevereiro e tirei de letra, sintomas leves, tranquilo. E graças à vacina. Tomei todas as minhas doses e sou defensora da importância de se vacinar".

A diarista Magnólia Gomes da Silva, de 42 anos, chegou cedo ao posto. Ela contou que teve Covid-19 e apresentou sintomas leves. “Acredito que tenha sido por causa da vacina, né? Eu não brinco com isso, não. Acompanho o noticiário bonitinho e estou eu aqui, de novo, pra tomar minha dose de reforço.” Elaine de Paula, de 49 anos, que trabalha como empregada doméstica, também fica ligada nas informações sobre a vacinação. “Tomei todas as minhas doses e se precisar, venho, de novo. Me cuido e falo com orgulho: não tive Covid-19 nenhuma vez. Que assim continue”, diz ela.

Continua após a publicidade



De acordo com a prefeitura, o município está abastecido com vacinas de todos os fabricantes atualmente disponíveis no país.

Quem estiver com a imunização atrasada deve procurar um posto para regularizar o esquema vacinal o quanto antes.


fonte O DIA

1 visualização0 comentário

CLIQUE E OUÇA AO VIVO

1f447-1f3fe.png